Governo dos Açores - Secretaria Regional da Educação, Ciência e Cultura - Direção Regional da Cultura

Sampaio, José Augusto da Silva

[N. Angra do Heroísmo, 28.2.1852 ? m. ibidem, 6.2.1914] Jornalista. Filho do médico José Augusto Nogueira *Sampaio e irmão de Alfredo da Silva *Sampaio, não prosseguiu estudos superiores, apesar das suas reconhecidas capacidades. Foi funcionário, desde 1870, das alfândegas do Funchal, Horta, Porto e de Angra do Heroísmo, donde se aposentou em 1900. Além disso exerceu funções docentes no liceu de Angra, como professor provisório, e como professor particular de Matemática. Uma boa parte da sua vida foi dedicada ao jornalismo. Foi redactor dos jornais A Razão (1871-1872); O Protesto (1877-1878); bem como proprietário e director de Os Açores (1879-1880); O Alerta (1881), O Atleta (intermitente entre 1879 e 1911, órgão do Partido Liberal) e O Diário (1912). A colaboração estendeu-se a outra imprensa terceirense: O Angrense, A Terceira, O Incentivo, O Correio da Terceira, Jornal do Grémio Literário, 11 de Agosto, A União e o Almanaque Insular. Enquanto esteve no Porto (1892), fundou e dirigiu uma revista quinzenal para os Açores, denominada Correio de Portugal. Liberal moderado, procurou defender grandes causas que considerava importantes para o progresso da ilha. Publicou alguns trabalhos relacionados com a sua área profissional de aspirante das alfândegas, mas também poesia e temas relacionados com a educação. Carlos Enes

Obras Principais. (1870), Cantos da Mocidade [versos]. Vila do Topo, Ed. do autor. (1899/1901), Dicionário de tecnologia aduaneira para Portugal e Brasil. Lisboa, Imprensa Nacional, 2 vols. (incompleto).

 

Bibl. Amaral, J. C. R. (1952), Evocando José Augusto da Silva Sampaio, A União, Angra do Heroísmo, 29 de Fevereiro.