Governo dos Açores - Secretaria Regional da Educação, Ciência e Cultura - Direção Regional da Cultura

Cabral, Guilherme Read

[N. Portsmouth, Inglaterra, 1821 ? m. Ponta Delgada, 18.6.1897] Veio menino para Ponta Delgada na companhia do pai, irmão do cônsul inglês, William Harding Read com quem foi educado devido à morte daquele. Estudou em S. Miguel e tornou-se cidadão português adoptando mesmo o apelido Cabral de seu cunhado, António Bernardo da Costa Cabral, futuro Marquês de Tomar. Fez uma carreira burocrática nas Alfândegas, tendo sido director das Alfândegas do Funchal, Horta e Ponta Delgada, tornando-se um especialista em matéria alfandegária, sobre a qual escreveu várias obras. Foi governador civil do distrito da Horta, entre 14.9.1893 e 4.1.1894, numa época difícil no referente a abastecimento de cereais, o que o levou a publicar uma proclamação justificativa.

Comendador da Ordem de Cristo e Cavaleiro da Torre-Espada. No campo literário, fez parte da geração romântica de Ponta Delgada, que se desenvolveu na roda de Castilho, quando este habitou a cidade. Colaborou assiduamente no órgão do grupo, Revista dos Açores, principalmente como poeta. Foi, porém, poeta menor e como romancista também não saiu da mediocridade. Foi ainda tradutor. J. G. Reis Leite (Jan.2001)

Obras Principais (1870), Breves considerações sobre a simplificação do serviço das Alfândegas, seu pessoal e protecção ao comércio do distrito de Ponta Delgada. Ponta Delgada, Tip. Manuel Corrêa Botelho. (1890), Compêndio de Legislação fiscal. Ponta Delgada, Tip. Manuel Corrêa Botelho. (1893), Proclamação aos habitantes do distrito da Horta, Horta, Tip. Hortense. (s.d.), Glórias e primores de Portugal, Lisboa, Tip. Ed. Alcino Aranha. (1897), No interior da terra e nas profundezas do mar, Ponta Delgada, Tip. Elzeveriana.

 

Bibl. Dicionário Cronológico de Autores Portugueses (1990), Lisboa, Europa-América, II. Dias, U. M. (1931), Literatos dos Açores. Vila Franca do Campo, Emp. Tip. [com bibliografia comentada de G.R.L.]