Governo dos Açores - Secretaria Regional da Educação, Ciência e Cultura - Direção Regional da Cultura

Brasil, Jaime

 (Artur J. B. Luquet Neto) [N. Angra do Heroísmo, 22.1.1896 - m. Lisboa, 19.5.1966] Jornalista e escritor. Estudou no liceu de Angra e em Lisboa. Concluiu o curso de oficiais milicianos, tendo participado na I Guerra Mundial. Nos anos 20, iniciou a sua militância política no movimento anarco-sindicalista. Pelas suas posições políticas acabou por estar preso, em 1937, e exilado em Paris, nos anos 30 e 40. Por imposição da censura, esteve durante longo tempo proibido de assinar os seus escritos, fazendo-o apenas com a letra A., do seu primeiro nome Artur. Foi, inclusivamente, obrigado a assinar com A. Luquet o seu livro sobre a vida e obra de Zola (1943).

Distinguiu-se como jornalista brilhante. Para além da colaboração n´A Batalha, foi redactor de O Século, donde foi afastado por razões políticas, colaborou na República, no Diabo e dirigiu a revista semanal O Globo, nos anos 30. Regressado do exílio, foi redactor de O Primeiro de Janeiro, no Porto, até 1959, transitando para Lisboa, como chefe de redacção do mesmo jornal, até 1966. Empenhado no jornalismo cultural, criou páginas literárias na República e em O Primeiro de Janeiro. Foi fundador do Sindicato dos Profissionais da Imprensa de Lisboa.

Como escritor, distinguiu-se com a publicação de biografias de autores estrangeiros e nacionais, bem como estudos relacionados com a vida e obra de vários artistas e escritores.

Amigo de Vitorino Nemésio, ajudou-o a estrear-se no jornalismo profissional. Por seu turno, Nemésio dedicou-lhe o livro de poemas La Voyelle Promise e incluiu-o entre as figuras do seu romance Varanda de Pilatos. O seu nome está inscrito na toponímia de Lisboa e Porto. Carlos Enes (2002)

Obras Principais (1932), A Questão Sexual. Lisboa, Casa Editora Nunes de Carvalho. (1940), Diderot e a sua Época, Lisboa, Ed. Império. (1944), Rodin. Porto, Ed. Lopes da Silva. (1948), Chalom! Clalom!...Uma reportagem na Palestina. Porto, Ed. O Primeiro de Janeiro. (1958), O Caso de ?A Infanta Capelista? de Camilo Castelo Branco ou Como se arrancam as penas a um empavonado ?Camelianista?. Porto, Liv. Galaica. (1959), Leonardo Da Vinci e o seu Tempo. Lisboa, Portugália Editora. (1960), Velasquez. Lisboa, Portugália Editora. (1961), Colas Brengnon [de Romand Rolland]. Lisboa, Ed. Prelo [trad. e pref.]. (1961), Ferreira de Castro: A Obra e o Homem. Lisboa, Ed. Arcádia Lda. (1963), Morreram pela Pátria, de Mikail Cholokov. Lisboa, s.e. [trad.]. (1964), Gorki, por ele mesmo [de Nina Gourfinket]. Lisboa, Ed. Portugália Editora [trad.]. (1965), A Comédia Humana: Os Insurrectos da Militar [de Balzac]. Lisboa, Ed. Portugália Editora [trad.]. (1965), A Vida Inquieta e Gloriosa de Victor Hugo. Lisboa, Ed. Portugália Editora. (1966), A Comédia Humana - Estudos Filosóficos: A Pele de Chagrim [de Honoré Balzac]. Lisboa, Ed. Portugália Editora [trad.]. (1966), A Comédia Humana ? Eugénia Grandet: Cenas da Vida de Província [de Balzac]. Lisboa, Ed. Portugália Editora  [pref. e trad.]. (1966), Condenação à Morte [de Louis Aragon]. Lisboa, Ed. Portugália Editora [trad.]. (1966), Zola: O Escritor e a sua Época. Lisboa, Ed. Portugália Editora.

 

Bibl. Diário Insular (2001), Vento Norte, Suplemento de Artes e Letras, 221, 20 de Janeiro. Conferência de António Valdemar na Casa dos Açores (Lisboa), 1996 [inédita].