Governo dos Açores - Secretaria Regional da Educação, Ciência e Cultura - Direção Regional da Cultura


Memória sobre a ilha Terceira e Épocas Memoráveis da ilha Terceira

  • Divulgação Institucional/Institutional Release
  • Todos
  • 2021-04-19 até 2021-12-31

Memória sobre a Ilha Terceira (1903)

O Centro de Conhecimento dos Açores e a Biblioteca Púbica e Arquivo Regional Luis da Silva Ribeiro disponibilizam a consulta online da Memória sobre a Ilha Terceira de José Augusto Nogueira Sampaio (1903)

 

Sampaio, José Augusto Nogueira

[N. Angra do Heroísmo, 11.12.1827 ? m. ibidem, 26.7.1900] Médico e reitor do liceu. Iniciou os seus estudos sob a direcção do deão Narciso António da Fonseca e do padre Jerónimo Emiliano de Andrade, partindo depois para Coimbra a fim de continuar os estudos preparatórios para a entrada no curso de Medicina. O facto de a faculdade ter encerrado em 1844 numa luta universitária contra o governo de Costa Cabral e, depois, em 1846 por motivos relacionados com a «Maria da Fonte», decidiu ir estudar para a Universidade Católica de Lovaina, onde se matriculou no ano seguinte. A obtenção de altas classificações, fez com que fosse nomeado interno na maternidade, depois interno do hospital, em clínica médica e clínica cirúrgica. Regressou a Lisboa em 1850, requerendo o exame de habilitação, que lhe foi passado pela Escola Médica de Lisboa, após os exames prestados. De seguida, partiu para a Terceira onde fixou residência e casou.

Em 1852, iniciou a carreira no hospital de Angra, com o cargo de cirurgião efectivo, onde trabalhou até 1888. Foi ainda médico do partido municipal, desde 1857, delegado de saúde (1857-1877) e guarda-mor de saúde, até 1896. Combateu várias epidemias e prestou apoio aos militares, tendo sido nomeado cirurgião ajudante dos corpos do exército (1856) e cirurgião-mor honorário (1874).

Na vida politico-administrativa, foi membro da Câmara de Angra no biénio de 1852-1854, várias vezes nomeado procurador à Junta Geral, ligado ao partido do conde da Praia, ou seja, aos progressistas.

Foi membro fundador da Sociedade Agrícola, tendo organizado a primeira exposição agro-industrial em Angra. Em 1860, foi nomeado director do Posto Meteorológico. Entre 1857-1897, foi professor proprietário da cadeira de Física e Química, no liceu e reitor de 1884 até 1895. Foi um estudioso da fauna, da flora e da mineralogia, tendo os seus estudos sido publicados pelo filho, Alfredo da Silva *Sampaio, na obra Memória sobre a Ilha Terceira. Adepto das teorias evolucionistas e das hipóteses levantadas por Darwin sobre a origem das espécies, sustentou na imprensa local polémica com elementos do clero. Como cientista estudou o cocus que devastava os laranjais da ilha (1854), cujo relatório foi publicado na revista Panorama (vol. 9.º); analisou as águas minerais da Serreta, tendo a Sociedade Pharmaceutica Lusitana conferido o diploma de sócio correspondente. Foi ainda membro da Sociedade de Ciências Médicas de Lisboa, da Sociedade de Arquitectos e Arqueólogos Portugueses e da Societé Indo-Chinois de Paris. Recebeu a comenda da Ordem de Cristo e o grau de Cavaleiro da Ordem da Conceição. CARLOS ENES

Obras principais. (1856), Dissertação sobre o aborto provocado. Angra do Heroísmo, Tip. M. J. P. Leal. (1892), Oração escolar na abertura solene das aulas do Liceu Nacional de Angra do Heroísmo no ano lectivo de 1892 a 1893, pelo Reitor. Angra do Heroísmo, Tipografia Minerva da Livraria Religiosa. (1894), Exame crítico a reputação que o ex.mo senhor cónego António Maria Ferreira fez ao discurso intitulado ? a vida, Angra do Heroísmo, Imprensa Municipal. (1894), Discurso comemorativo do primeiro de Dezembro de 1640, pronunciado na abertura do sarau literário realizado no Liceu Nacional de Angra do Heroísmo na noite de 1 de Dezembro de 1893. Angra do Heroísmo, Imprensa Municipal de Angra. (1904), Flora da ilha Terceira ? Catálogo. Angra do Heroísmo, Imprensa Municipal de Angra (incorporado na Memória sobre a Ilha Terceira, da autoria do filho, Alfredo da Silva Sampaio).

 

Descubra mais em:

www.culturacores.azores.gov.pt

Centro de Conhecimento dos Açores – Bibliotecas Digitais – Biblioteca Monografias e periódicos – Pesquisas – História

 

 

 

Épocas Memoráveis da ilha Terceira (1450-1832)

O Centro de Conhecimento dos Açores e a Biblioteca Púbica e Arquivo Regional Luis da Silva Ribeiro disponibilizam a consulta online dos três volumes das Épocas Memoráveis da Ilha Terceira (1890 - 1896) do Padre Jeronymo Emiliano D`Andrade e Francisco Ferreira Drumond, cobertura temporal de 1450 – 1832.

Descubra mais em:

www.culturacores.azores.gov.pt

Centro de Conhecimento dos Açores – Bibliotecas Digitais – Biblioteca Monografias e periódicos – Pesquisas - História

CONTACTOS PROMOTOR:

Direção Regional da Cultura
Palacete Silveira e Paulo
Rua da Conceição
9700-054 Angra do Heroísmo
Terceira . Açores . Portugal
Telefone: (+351) 295 403 000
Fax: (+351) 295 403 001 / 403 071

Correio Eletrónico:
drac.info@azores.gov.pt
drac.cca@azores.gov.pt - Centro de Conhecimento dos Açores
Sítio: http://www.culturacores.azores.gov.pt/


Pesquisa

   
     

//and this too!

Em Foco:

A Agenda Cultural do portal Cultura Açores pretende facultar ao público o acesso à informação sobre os acontecimentos de carácter cultural em todas as ilhas dos Açores ou promovidos pelos Açores, no exterior do arquipélago.

Prestaremos um serviço sistematicamente mais eficaz, quanto maior for o número de agentes culturais a disponibilizarem informação sobre as atividades que promovem, contribuindo para a divulgação e promoção do calendário de eventos culturais dos Açores.

A Agenda Cultural dos Açores está à disposição de todos os promotores culturais, de forma acessível e gratuita. Para utilizar esta agenda, como meio de divulgação, contacte-nos através do e-mail agenda.cultural@azores.gov.pt ou do telefone nr. 295 403 000 (Direção Regional da Cultura - Centro de Conhecimento dos Açores).

A Secretaria Regional da Educação e Cultura/Direção Regional da Cultura não se responsabiliza pelas alterações, adiamentos ou cancelamentos de eventos divulgados através da Agenda Cultural dos Açores, que decorram de imprevistos e/ou incumprimento por parte dos promotores na atualização da informação sobre os mesmos.